Colágeno ou Colagénio?

Cerca de 70% da estrutura da pele é composta dele, que funciona como um cimento natural, capaz de tornar o tecido mais resistente e flexível.

A má notícia é que, à medida que envelhecemos, a produção de colágeno diminui porque os fibroblastos, as células que têm a função de produzi-lo, vão ficando, digamos, mais preguiçosos. 

Por volta dos 25 anos, começa uma desaceleração de mais ou menos 1% na fabricação anual. A perda vai se intensificando e, aos 50 anos, o organismo produz apenas 35% do necessário.

 

Cabelos e unhas

Investigadores mostraram que a ingestão de colágeno estimula a produção de queratina e, por isso, influenciaria também o crescimento e o fortalecimento de unhas e cabelos.

Trabalhos científicos recentes mostram ainda a suplementação de colágeno como uma boa aposta contra a calvície.

De acordo com essas pesquisas, a ingestão de peptídeos de colágeno (moléculas compostas de dois aminoácidos, estruturas formadoras das proteínas) estimulam genes específicos no bulbo capilar que prolongam a fase anágena (etapa inicial do crescimento) do fio. 

 

Para além da beleza

De acordo com especialistas, a proteína possui propriedades que deixam articulações, ligamentos, tendões e ossos mais resistentes.

E tomar doses extras dela estimula a produção natural da substância, garantindo um reforço ainda maior para essas estruturas.

Por essa razão, o colágeno pode ser uma ótima opção na prevenção e no tratamento de doenças das articulações, como artrite. Obesos e praticantes de atividade física intensa, que expõem as articulações a grandes esforços, e pessoas com osteoporose (ou predisposição a desenvolvê-la) também são candidatos à suplementação.

A ingestão da proteína também beneficia os músculos, pois auxilia na manutenção da massa magra e na reconstrução das fibras musculares desgastadas, acelerando a recuperação pós-exercício. Isto acontece pela presença de creatina e arginina, aminoácidos essenciais para a integridade e o crescimento dos músculos.

 

Alimentação

Uma alimentação equilibrada é o primeiro passo para garantir o colágeno necessário para ter pele, cabelo, unhas, ossos, articulações e músculos saudáveis.

Uma “ementa” rica em proteínas de origem animal, principalmente carne vermelha magra, quase sempre é suficiente para repor a quantidade perdida naturalmente.

As vitaminas A, C e E (presentes em cenoura, pepino, laranja e goiaba), os minerais zinco (encontrado nos frutos do mar e na castanha-do-pará) e selênio (nas nozes e na linhaça), além do silício (que está na aveia, na cevada e na alcachofra), funcionam como catalisadores para a utilização do colágeno pelo organismo - por isso, não devem faltar nas refeições.

Por outro lado, hábitos nada saudáveis como o consumo de açúcar em excesso, a desidratação, o tabaco, o stress, a exposição ao sol e a falta de sono são fatores que aceleram a degradação da proteína e o processo de envelhecimento. 

 

Dose certa

Quando o estilo de vida e os hábitos de alimentação dificultam a ingestão adequada de colágeno, a suplementação é bem-vinda.

E, para as mulheres que se submetem a tratamentos estéticos, como o ultrassom, a radiofrequência e o infravermelho, que agem sobre a pele e os músculos, estimulando a produção natural de colágeno, os benefícios são ainda maiores.

Nesses casos, a proteína suplementada tende a ser deslocada diretamente para as áreas abordadas pelas máquinas, em que a necessidade de firmeza é maior. É mais ou menos como acontece com a musculação: não adianta consumir "um monte" de proteína com o objetivo de aumentar a musculatura se os exercícios não provocarem as microlesões nas regiões que desejas tonificar.

De qualquer maneira, a prescrição e a supervisão da suplementação por um médico ou nutricionista são muito importantes, pois eles são capazes de avaliar como deve ser administrada - em cápsulas, pó ou líquido - e em que quantidade.

Tomar doses exageradas por conta própria pode não trazer os resultados esperados e ainda abrir caminho para problemas de saúde, já que o excesso sobrecarrega os rins.

 

fonte Women´s Health Brasil