Comer de 3 em 3 horas

Um dos hábitos mais comuns e mais errados que as pessoas cometem é alimentarem-se poucas vezes ao dia. Um erro, que era o meu erro.


Comer a cada três horas é importante para combater a compulsão, pois quando fracionamos as nossas refeições tendemos a comer menos ou comer o necessário. Se acordas e não tomas o pequeno-almoço, provavelmente vais chegar à hora do almoço a morrer de fome e vais comer além do que precisas, alimentos não muito saudáveis e ainda finalizas com aquela sobremesa. Certo?

Apesar de muita gente não saber (e não fazer), a refeição mais importante do dia é o pequeno-almoço, que por ser a primeira refeição diária vai-nos ajudar a suprir as necessidades e calorias gastas durante o sono. E esta refeição deve conter um bom hidrato de carbono integral, uma proteína magra e frutas. O pequeno-almoço vai-te dar mais disposição para encarar as tuas tarefas diárias, melhorar a concentração de quem estuda, dar mais energia e "pique" se praticas alguma atividade física e melhora o teu rendimento no trabalho.

E porque é que fraccionar as refeições emagrece? Quando nos alimentamos com frequência o nosso organismo não sente necessidade de fazer reservas de energia, estas reservas são aquelas gordurinhas indesejadas, ele simplesmente usa o que precisa e o restante é eliminado ou utilizado como fonte de energia pelo corpo. Quando passamos muito tempo sem comer, o cérebro entende que há uma ameaça de privação alimentar e envia mensagem para que parte do que for consumido seja "guardado" por precaução e é quando tu, começas a ganhar peso mesmo comendo poucas vezes ao dia.

Mas de nada adianta comer várias vezes e comer muito! O ideal é fazer pelo menos seis refeições diárias equilibradas. Cuidado para não exagerar, não vale comer gelado de chocolate nos lanches, nem trocar o almoço por sanduíches com batata frita e coca-cola. O equilíbrio é fundamental para tudo e na alimentação não é diferente. A palavra de ordem é controlar o consumo excessivo de hidratos de carbono (pães, doces) brancos dando preferência aos integrais, colocar frutas nos intervalos das refeições, consumir carnes magras, evitar fritos, consumir muitos legumes e verduras e beber muita, mas muita água. Se tu tens dificuldade em organizar a tua alimentação procura um Nutricionista (ou fala comigo, estou a começar um curso de Health Coach no Institute for Integrative Nutricion em NY) que irá prescrever um "cardápio" adequado ao teu dia-a-dia. Desta forma garantes os nutrientes que o teu corpo necessita, consegues eliminar os quilinhos extra e melhoras a tua qualidade de vida!
 


Em suma:

Metabolismo a mil: todas as vezes que comes, gastas calorias na tarefa de digerir os alimentos. Este gasto é maior imediatamente após a refeição, quando o corpo inicia o processo de digestão. Por isso, comer a cada três horas obriga o corpo a reiniciar a digestão de cinco a seis vezes por dia, queimando mais calorias e fazendo com que tu percas peso.

Menos gordura, mais músculos: três horas depois de uma refeição, o organismo encerra o processo de digestão – os excessos são assimilados na forma de gordura e o corpo passa a buscar combustível nos músculos. Se tu comes antes desse sistema ser acionado, a gordura vai embora e os músculos ficam. E, como os músculos são "queimadores" de energia, ajudam a manter o metabolismo acelerado e o corpinho em cima.

Barriga "chapada": quando estás com fome, uma espécie de stress, o teu corpo produz uma quantidade maior de cortisol. Um estudo publicado no conceituado New England Journal of Medicine mostrou que quantidades elevadas desta hormona estão associadas aos "reservatórios" de gordura abdominal.

Fome económica: fazer refeições a cada três horas emagrece sem sacrifício, pois tu comes antes de ficar faminta. E existem duas vantagens nisso. Quando nos satisfazemos com porções menores, economizamos calorias e mantemos equilibrados os níveis de insulina. Se tu consomes um prato gigante, produzes muita insulina (hormona cuja tarefa é carregar a glicose para dentro das células). E, em excesso, esta hormona engorda e dá mais fome.

 

Fontes: Livro A Dieta das 3 Horas, do americano Jorge Cruise | Nutricionista paulistana Gisele Pavin